* Por Christine Schmidt

O que você faz quando as notícias chegam a todo momento?

Algumas pessoas param de usar os aplicativos de notícias (ou nem sequer os baixam) por pura opressão. E outras recorrem à CNN para atualizações ao vivo.

Em 9 de outubro, por exemplo, era possível encontrar informações ao vivo sobre mercado financeiro, 1 tiroteio perto de uma sinagoga alemã, os movimentos militares da Turquia na Síria e, sim, o inquérito de impeachment de Trump. O site da CNN tem essencialmente o formato de blog ao vivo.

Politico, The New York Times e vários outros utilizam o ao vivo para eleições e outros grandes eventos, então isso não é novidade em si. Mas a história ao vivo da CNN é uma nova ferramenta criada pela equipe de produtos, no ano passado, com resultados decentes até agora. A ferramenta teve seu maior acesso em agosto, cobrindo os tiroteios em El Paso e Dayton e o furacão Dorian, com 35 milhões de visitantes únicos da CNN Digital.  A história ao vivo de Dorian, atualizada por nove dias consecutivos, teve 29 milhões de usuários únicos.

Esta ferramenta, conhecida internamente como “experiência dinâmica ao vivo”, é basicamente uma maneira de manter todas as últimas notícias em ordem mais rapidamente. Mas a equipe teve que criar 1 CMS (Content Management System, Sistema Gerenciador de Conteúdo em português) totalmente novo para fazer isso acontecer.

“É 1 sinal de que o acontecimento ainda está em andamento, com notificações integradas”, disse o diretor de tecnologia Robyn Peterson. Ele liderou de cinco a dez trabalhadores no desenvolvimento contínuo da ferramenta, que agora pode suportar vídeos e resultados ao vivo das pesquisas eleitorais. “Era uma forma de conteúdo tão diferente, uma plataforma tão diferente, que realmente merecia ser construída por si mesma”.

“Nós precisávamos de 1 produto para enviar notícias mais rapidamente ao consumidor, mesmo que fossem apenas atualizações de uma a duas frases”, disse a diretora de notícias da CNN Digital Amanda Wills. “Quando as pessoas pensam na CNN como uma marca, pensam muito no ritmo e na falta de ar que veem no ar. Eu queria que espelhássemos isso”.

Histórias ao vivo ficam na parte superior do site, semelhante ao “LIVE TV” intermitente que você pode ver. Além das atualizações de carregamento automático, uma barra lateral à esquerda explica variações de “Onde estão as coisas agora” ou “O que abordamos aqui”, dependendo se ainda está ativo ou não. Marcadores fornecem 1 padrão, antes que o leitor comece a rolar o site, e 1 vídeo é reproduzido automaticamente na parte superior. Depois de descer  a página, você verá alguns links, se optar por explorar o tópico com mais profundidade. No celular, a barra lateral aparece primeiro.

Esses blogs substituem o processo de atualização de artigos regulares – em que 1 repórter escreveria as novas informações e acrescentaria alguns parágrafos extras de contexto. O contexto, agora, está incorporado ao blog, onde os editores podem praticamente ler sobre os ombros dos escritores para economizar tempo na publicação. “Quando minha equipe está trabalhando em algo super urgente, eu leio os textos enquanto eles digitam. Quando eles passaram para a próxima frase, eu começo a editar a anterior”, disse Wills

Cada matéria ao vivo precisa de pelo menos duas pessoas para mantê-la – 1 repórter e editor, mas algumas tiveram até 10 pessoas adicionando informações e refinando-as, como durante o debate na CNN. Sem surpresa, Wills não vê 1 limite operacional para quantos podem ser mantidos simultaneamente.

“Quantas atualizações estamos recebendo nessa história? Quantos repórteres estão nessa história? Quanto estamos recebendo, em termos de informação, nesta história? ”, disse Amanda como exemplos de como decidir qual evento merece ser atualizado ao vivo. “Realmente não temos uma data de encerramento para [impeachment] porque é muito contínua. Podemos mover os URLs à medida que a história muda, mas mantemos essa história constantemente”.

“Quando é algo como uma tempestade ou 1 furacão, tendemos a lançar antes do furacão. Quando estiver no Caribe e sabemos que chegará a terra nas próximas horas, é quando vamos lançar. Mantemos o funcionamento até o furacão se dissipar ou até atingir o ponto de chegada e os impactos serem sentidos e a tempestade acabar. Em seguida, encerramos a matéria ao vivo ‘tempestade está chegando’ e passamos para a próxima fase, que é a recuperação”.

A maior parte da audiência acontece quando essas histórias são ao vivo, mas a CNN está explorando uma vida após a morte como uma cápsula do tempo. Após a cerimônia do Oscar, a equipe de Wills reformulou a coleção para “reviver o Oscar como aconteceu“.

__

Leia o texto original em inglês aqui.

__

O Poder360 tem uma parceria com duas divisões da Fundação Nieman, de Harvard: o Nieman Journalism Lab e o Nieman Reports. O acordo consiste em traduzir para português os textos que o Nieman Journalism Lab e o Nieman Reports produzem e publicar esse material no Poder360. Para ter acesso às traduções já publicadas, clique aqui.

Curta a nossa página no Facebook para ver histórias semelhantes

Dê uma classificação geral para o site:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui