A equipe do Bahia voltou aos treinos na tarde desta quarta-feira (23) e continuou os trabalhos visando o duelo contra o Inter. Mais uma vez, os atletas que vem atuando com frequência não foram ao campo e focaram na recuperação.

Quando perguntado sobre o seu time do coração, Gregore é taxativo: “Sou Bahia”. Identificado com o clube e muito querido pela torcida, o jogador de 25 anos, visto como um dos melhores volantes do Campeonato Brasileiro, tem um coração azul, vermelho e branco, mas que tem um tantinho de verde e amarelo. Vestir a camisa da Seleção Brasileira é um sonho para ele, que não escondeu o seu desejo em entrevista ao Bahia Notícias. “É um foco que tenho na minha carreira. Todo jogador quer chegar na seleção, mas quero viver o dia a dia. Eu quero ainda mais esse sonho. Se eu continuar evoluindo, vou conseguir”, declarou. Gregore não sonha sozinho. Em algumas entrevistas, o técnico Roger Machado já credenciou o marcador a uma convocação para a equipe nacional, citando que o jogador é um “ladrão de bolas”, “protetor da defesa”, “muito combativo” e que lidera as estatísticas de sua função. Com 61 desarmes em 19 partidas disputadas, Gregore é um dos pilares da atual fase do Bahia, que hoje briga por uma vaga na Copa Libertadores. Mas o bom momento não ilude o atleta, que crê que o time pode fazer ainda mais. “Hoje o nosso time toma poucos gols. Se a gente quer conquistar coisas grandes, tem que manter assim. Se a gente toma pouco gol, nosso ataque tem condição de fazer. No nosso grupo, quem está entrando, o nível segue o mesmo. É parabenizar o grupo, mas ainda temos muito o que fazer nesse ano”, indicou.

Hoje é comemorado em todo o mundo o Dia do Jipeiro. Não em função de um acontecimento marcante, mas apenas por conta da coincidência da data: 4 de abril, ou 4/4, em referência à tração nas quatro rodas. A homenagem já se tornou até lei em alguns estados brasileiros, a exemplo de São Paulo. Mas por qual razão o jipeiro, que não é santo ou profissão, merece ter um dia só para ele? O Boletim 4×4 vai tentar responder para você que tem curiosidade ou pretende ingressar nesse universo. 

Com o objetivo de combater a retirada ilegal de areia e o descarte irregular de lixo e entulho, a Prefeitura de Camaçari decidiu fechar o cerco para proteger as dunas de Jauá. A medida, no entanto, deixa em alerta também os adeptos do 4×4. O Boletim 4×4 explica como será a fiscalização e as medidas adotadas pelo município, que serão intensificadas a partir dessa semana. Entre essas medidas está o fechamento do acesso direto às dunas na Via Parque, após os condomínios particulares. “Nosso alvo são os caçambeiros que cometem crimes ambientais”, disse o subprefeito da Orla de Camaçari, Oswaldo Marcolino Filho.

Próximo de anunciar a Kappa como sua nova fornecedora esportiva, o Vitória vai lançar uma camisa oficial com um preço mais acessível. A ideia inicial é que a vestimenta custe R$ 100, segundo apuração da Coluna de Chapa, do Bahia Notícias.  Na negociação com a Kappa, Ricardo David, presidente do clube, pediu a inclusão da “linha popular”.

A Unirb (Faculdade Regional da Bahia) se filiou a Federação Bahiana de Futebol (FBF) e é a mais nova agremiação esportiva do estado. A Coluna De Chapa, do Bahia Notícias, apurou que a entidade pretende disputar a Série B do Campeonato Baiano já em 2019. Além disso, o clube irá montar categorias de divisões de base. A sede da equipe será em Mata de São João.

No empate com o Bahia, na última quarta-feira (9), o técnico Fernando Diniz fez as três substituições do São Paulo por problemas físicos. De acordo com o site “GloboEsporte.com”, a diretoria do clube resolveu investigar internamente para buscar respostas, já que não se trata de uma questão isolada. Em 2019, o Tricolor paulista tem sofrido muito com desfalques de ordem clínica.

 

Nesta temporada, 25 jogadores do São Paulo já ficaram afastado do time por diversos problemas como dores musculares, incômodos, traumas, tendinites, estiramentos, amigdalite, indisposição, concussão, entre outros. A questão incomoda o Tricolor considerando principalmente que a equipe disputa apenas o Campeonato Brasileiro desde o fim de maio, quando foi eliminado pelo Bahia na Copa do Brasil. Nos bastidores da agremiação, alguns fatores estão sendo considerados como descuido dos atletas, atletas recém-contratados, além de diagnósticos incompletos, como foi o caso do atacante Pablo que inicialmente sentiu dores nas panturrilhas e em seguida foi descoberto um cisto na região lombar, inclusive sendo submetido a cirurgia.

 

As mudanças nas comissões técnicas também pode ter influência, já que o clube trocou de técnico quatro vezes. Por exemplo, quando foi contratado, Diniz levou alguns profissionais para compor sua equipe. Além dos comandantes, o departamento médico também teve alterações, Auro Rayel foi para as categorias de base, e Tadeu Moreno passou a integrar a comissão do elenco profissional junto com o doutor José Sanchez. Após o apito final da partida contra o Bahia, Diniz saiu em defesa do departamento médico durante a entrevista coletiva. “Vale ressaltar que as pessoas do departamento médico são ótimas. O doutor Sanchez conheço há muito tempo. Fisioterapeutas, fisiologia muito bom. Às vezes as lesões acontecem e a gente quer achar culpado, mas não tem culpado. Às vezes… ninguém sabe porque machuca muito ao certo. Às vezes é pelo jogador que não falou que estava sentindo, às vezes pelo treinamento. Apontar de uma maneira muito reduzida para o departamento médico acaba cometendo uma injustiça muito grande. O departamento médico do São Paulo tem profissionais muito qualificados”, disse.

 

No domingo (13), o São Paulo encara o Corinthians, no Morumbi, pela 25ª rodada do Brasileirão. O lateral-direito Juanfran e o atacante Pablo, substituídos na quarta, são dúvidas para o clássico. Já Liziero, que deixou o gramado de Salvador com câimbras, participou do treino coletivo desta sexta (11). Enquanto Everton, Toró e Rojas seguem entregues ao DM se recuperando de lesões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui