Candidato a presidente, Cl?udio Vital diz que processo não foi democrático

A maneira como transcorreu a escolha da mesa diretora do Conselho Estadual de Saúde (CES) de Alagoas, no dia 16 de outubro, está sendo contestada por um grupo que se opõe à gestão eleita.

Documentos que provariam que o processo não foi realizado de maneira democrática foram apresentados ao Ministério Público Estadual (MPE), na manhã desta terça-feira (22), na forma de denúncia com pedido de providências.

Candidato a presidente na referida eleição, o conselheiro de Saúde Cláudio Vital classificou todo o processo como uma manobra política, comprometendo a lisura e a transparência. Por este motivo, ele acredita que os fatos precisam ser avaliados pela 26ª Promotoria de Justiça da Capital, a quem caberá emitir um posicionamento.

Ele informou que, quatro horas antes de a votação começar, toda a diretoria do colegiado renunciou, obrigando a escolha de todos os membros no mesmo dia e sem tempo hábil para que novos candidatos surgissem.

O presidente eleito do Conselho Estadual de Saúde de Alagoas, Maurício Sarmento, rebateu as acusações, garantindo que a eleição da entidade transcorreudentro da normalidade. “Cumprimos toda a recomendação da 26ª Promotoria de Justiça, respeitamos a soberania do conselho, fizemos as alterações no regimento como recomendado e realizamos as eleições. Vencemos no voto”, confirma.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui