Teresa Cristina deixa legado com lives temáticas feitas de 26 de março a 15 de outubro
Reprodução / Facebook Teresa Cristina
♪ ANÁLISE – Qualquer que seja o desfecho do imbróglio entre Teresa Cristina e o Instagram, ninguém – nem a rede social e muito menos hackers e haters – conseguirá derrubar a voz dessa cantora carioca que se fez ouvir em um dos momentos mais tensos e tristes da história da humanidade.
A cantora interrompeu em 15 de outubro a série de acalentadoras lives diárias que vinha fazendo no Instagram desde 26 de março com a alegação de que a conta da artista nessa rede social vinha sendo invadida.
A plataforma informa que investiga a ocorrência. Só que, qualquer que seja o desfecho aguardado para esta semana, Teresa Cristina já está na história do Brasil por ter sobressaído com lives noturnas que viraram polos de resistência em momento em que a cultura do país vem sendo minimizada por autoridades oficiais.
Teresa fez das lives uma plataforma independente para a exposição de ideias e de ideais, apresentados com trilha sonora cantada ao vivo que expôs, por si só, a riqueza da música do Brasil.
O conhecimento musical de Teresa Cristina é enciclopédico. Mas nenhuma informação foi passada de forma ostensiva, de cima para baixo. A artista conseguiu criar um espaço democrático em que todos se sentiam bem, como se estivessem ao redor da mesa de um bar virtual, jogando conversa dentro.
Todos os participantes eram importantes. Ícones da MPB, como Caetano Veloso e Chico Buarque, para citar somente dois dos muitos nomes que por lá passaram, eram tratados com justa reverência por Teresa. Mas outros cantores, pouco ou ainda nada conhecidos pelo público, também recebiam tratamento vip nas lives temáticas de Teresa Cristina.
Quando a pandemia for vencida e quando historiadores forem fazer o inventário social e cultural do Brasil neste tempo de incertezas e solidões, as lives da artista terão que ser obrigatoriamente lembradas pelo serviço que Teresa Cristina prestou de forma voluntária, sem ser remunerada, a quem estava sedento de cultura e de companhia (mesmo que virtual).
Teresa Cristina fez história, a ponto de muita gente ter tentado pegar carona no sucesso da artista. Resta torcer para que essa história continue a ser feita, no Instagram ou em outra plataforma.
Contudo, nada apaga o legado deixado pela artista de 26 de março a 15 de outubro. Teresa Cristina – cabe enfatizar para deixar bem claro – já está na história da cultura do Brasil.