Das vítimas de intervenções policiais que resultaram em morte em 2019, 79,1% eram pretas e pardas, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020. Os dados, divulgados nesta segunda-feira, 19, são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). No total, 6.375 mortes decorrentes de intervenções policiais foram contabilizadas. O Rio de Janeiro é o estado que mais registrou mortes por policiais no ano passando: cerca de 1.810 mortes.

Entre as vítimas de intervenção policial com resultado de morte em 2019, 99,2% são homens. As vítimas são jovens: 31,2% tinham entre 20 a 24 anos quando foram mortos, 23,5% tinham entre 15 e 19. No que tange à raça/cor, 79,1% dos mortos eram pretos e pardos. No Brasil, 74,4% das vítimas totais de violência letal em 2019 eram negros. Entre os policiais mortos por crimes violentos letais intencionais, 65,1% eram negros. O efetivo policial, no entanto, é composto por apenas 44,9% negros.

Crianças e adolescentes representaram 10,3% dos assassinatos em 2019. Da vítimas, 70% eram negras. “Em todas as faixas etárias, o número de vítimas negras é maior do que o número de vítimas brancas”, aponta o anuário. Das crianças e adolescentes mortos, 89,89% tinham entre 15 e 19 anos.

Sistema prisional

Em 2019, os negros representavam cerca de 66,7% da população carcerária no país. Para cada um não-negro preso, 2 negros foram presos. “Existe, dessa forma, uma forte desigualdade racial no sistema prisional, materializada não somente nos números e dados apresentados, mas que pode ser percebida concretamente na maior severidade de tratamento e sanções punitivas direcionadas aos negros”, diz o documento.