Nesta quinta-feira (22), a polícia da França prendeu a mulher que havia ameaçado explodir as bolsas que carregava consigo em Lyon, na França. O incidente aconteceu em Part Dieu, que é uma das estações de trem mais movimentadas da região. Segundo o jornal local “Le Progrès”, a mulher possuía cerca de 50 anos de idade e gritava “Allah-u-Akbar”, que em árabe significa “Deus é grande”. Há suspeitas de que ela sofra de problemas psiquiátricos. Quando a ameaça de explosão foi feita, os arredores do local foram evacuados e o esquadrão antibomba foi acionado para avaliar a situação. Horas depois do perigo ser descartado, às 17h45 do horário local (12h45 do horário de Brasília), a estação de trem reabriu para o público.

A ameaça de explosão acontece apenas seis dias depois da decapitação de um professor de história na cidade de Éragny, nos arredores de Paris. Samuel Paty, que lecionava no ensino médio, foi executado por mostrar ter mostrado charges do profeta Maomé em uma aula sobre liberdade de expressão. O autor do crime foi morto pela polícia. O governo francês já está respondendo ao crime com a expulsão de radicais islâmicos ilegais no país e fechamento de mesquitas.

*Com informações da EFE