Com 55,1% dos votos, Luis Alberto Arce Catacora, do Movimimento al Socialismo (MAS), foi eleito o 67º presidente da Bolívia. O resultado foi confirmado nesta sexta-feira (23), apesar das pesquisas de boca de urna já indicarem a vitória do ex-ministro da economia no primeiro turno. Lucho Arce, como é popularmente conhecido, já tinha comemorado a sua conquista no próprio dia das eleições, 19 de outubro, através da sua conta oficial no Twitter: “muito agradecidos pelo apoio e confiança do povo boliviano. Recuperamos a democracia e retomaremos a estabilidade e a paz social. Unidos, com dignidade e soberania”.

Antes mesmo da divulgação do resultado oficial, a presidente interina Jeanine Añez também já havia reconhecido a vitória através de suas redes sociais: “parabenizo os vencedores e lhes peço que governem pensando na Bolívia e na democracia”, escreveu. Añez subiu ao poder em novembro de 2019, após as denúncias de fraude eleitoral que levaram à renúncia do ex-presidente Evo Morales. Na ocasião, Morales aceitou uma oferta de asilo político feita pelo México e depois se transferiu para a Argentina, onde reside no momento. Com a vitória de Luis Arce, espera-se que ele retorne à Bolívia em breve.

Nos últimos dias, o novo presidente da Bolívia fez declarações sobre como pretende governar o país daqui para frente. Uma de suas principais intenções é reaproximar o país de Cuba, Venezuela e Irã, conexões que haviam sido criadas por Morales e se perderam durante o mandato de Añez. “Este governo agiu de forma muito ideológica, privando o povo boliviano do acesso à medicina cubana, à medicina russa, aos avanços da China. Devido a uma questão puramente ideológica, a população tem sido exposta de uma forma desnecessária e prejudicial”, criticou Arce.

Luis Arce, 57 anos, foi ministro da Economia da Bolívia de 2006 a 2017, durante o governo do ex-presidente Evo Morales. Segundo o jornal local La Razón, ele é considerado um dos responsáveis pelo “milagre econômico” que levou o país ao crescimento em meio à crise mundial. Também é conhecido pela redistribuição de renda através de bonificações às populações mais vulneráveis, incluindo crianças e jovens em idade escolar. Nestas eleições, Arce venceu o candidato centrista Carlos Mesa e o candidato de direita Fernando Camacho.

*Com informações de agências internacionais