As Forças de Segurança Nacional do Afeganistão afirmaram neste final de semana ter matado Abu Mohsen Al-Masry, que seria o atual número dois da Al-Qaeda. Ele estava na lista dos mais procurados do FBI, a polícia federal norte-americana, e foi acusado pela Justiça dos Estados Unidos de fornecer apoio material e recursos para uma organização terrorista estrangeira e de conspiração para assassinar americanos. De acordo com autoridades afegãs, a morte aconteceu durante uma operação especial na província de Ghazni, no leste do país e um soldado das forças de segurança também morreu. Al-Masri era um dos líderes veteranos do grupo terrorista e teria trabalhado com Osama bin Laden. O FBI não se manifestou sobre o caso.

*Com informações do repórter Vitor Brown