O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse que interesses nacionalistas na vacina contra a Covid-19 podem prolongar os efeitos da pandemia no mundo. A afirmação foi feita neste domingo, 25, durante o discurso de abertura da Conferência Mundial de Saúde. Ele reconheceu que é natural que os países queiram proteger os cidadãos locais. Porém, segundo o diretor, é importante uma cooperação internacional no combate ao vírus. De acordo com o chefe da OMS, quando uma vacina eficaz estiver disponível, a melhor maneira de imunizar a população é vacinar algumas pessoas em todos os países do que todas as pessoas em alguns países.

“Deixe-me ser claro: o nacionalismo da vacina vai prolongar a pandemia da covid-19, não encurtá-la. A única maneira de se recuperar mais rapidamente é nos recuperando juntos”, disse. Para Tedros, se todos trabalharem juntos, em solidariedade, será possível salvar vidas e promover uma recuperação global. Ele ressaltou que muitos dos países mais ricos do mundo, com alguns dos sistemas de saúde mais avançados, foram derrubados pelo vírus. O diretor ainda manifestou preocupação com o surgimento de novos casos da Covid-19, principalmente no hemisfério norte, em países que reabriram a economia rápido demais.

*Com informações do repórter Vinicius Moura