Um dos advogados pessoais do presidente Donald Trump, Jay Sekulow, lidera uma entidade classificada como “cristã de direita” que injetou US$ 88 milhões em campanhas contra direitos sociais no continente europeu. A denúncia foi feita nesta terça-feira (27) pela Open Democracy, ONG inglesa que luta pela liberdade de expressão. O órgão afirmou que houve alocação de dinheiro para iniciativas também na América Latina, na África e na Ásia, apesar dos valores não terem sido especificados.

A entidade investigou um total de 28 grupos cristãos envolvidos em pelo menos 50 processos judiciais, muitos deles denunciando violações aos direitos sexuais e reprodutivos junto ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos. Essas organizações defenderam restrições aos anticoncepcionais, ao divórcio, ao aborto, a adoção de crianças por casais do mesmo sexo e aos direitos trans. “Nenhum dos grupos investigados revela quem são seus doadores e muito poucos tornam públicos detalhes de como seus fundos são gastos no exterior”, explica a ONG.

Na segunda-feira (26), a juíza conservadora Amy Coney Barrett assumiu uma vaga na Suprema Corte após ser pessoalmente indicada pelo presidente Donald Trump. A tendência é que o tribunal se incline mais para a direita com as decisões da juíza que podem mudar algumas diretrizes norte-americanas como o direito ao aborto, direito dos homossexuais, regulamentação de negócios e meio ambiente.

*Com informações da EFE