Nesta quarta-feira (28), o candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, votou antecipadamente no estado de Delaware, onde reside. Ao sair do centro de votação na cidade de Willmington acompanhado de sua esposa Jill, o democrata afirmou: “restam seis dias para as eleições e os americanos têm em suas mãos a possibilidade de colocar este país em um caminho infinitamente diferente”. Assim como 74 milhões de norte-americanos, Biden e seu oponente, Donald Trump, votaram com antecedência para as eleições que acontecerão oficialmente no dia 3 de novembro. O número representa mais de 53% de toda a participação nas eleições de 2016, segundo uma contagem feita pelo US Election Project.

Embora muitos votos tenham sido enviados pelo correio, Biden e Trump optaram por comparecer pessoalmente aos centros de votação. Trump fez isso no último sábado (24), quando deixou a sua escolha registrada na cidade de West Palm Beach, na Flórida, onde vivia antes de mudar para Nova York. Ao voltar da urna, o presidente brincou que tinha votado “em um cara chamado Trump”. Em resposta a esse comentário, Biden afirmou que não votaria apenas em si, mas em diversos candidatos para cargos locais e estaduais.

Biden aproveitou a presença da mídia em frente ao centro de votação para alertar que, caso Trump seja reeleito, a vacina contra Covid-19 provavelmente não será gratuita para os americanos sem seguro médico. “Mesmo que eu ganhe, teremos muito trabalho para acabar com esta pandemia. Não estou fazendo uma falsa promessa de que posso acabar com esta pandemia como se apertasse um botão. Mas começarei, desde o primeiro dia, tomando as decisões corretas. Deixaremos que a ciência nos guie”, completou Biden.

*Com informações de agências internacionais