O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, deve retornar ao país no dia 9 de novembro, um dia depois da posse do aliado, Luis Arce. Há quase um ano, Evo renunciou ao cargo em meio à acusações de fraude eleitoral, quando tentava um quarto mandato consecutivo. Um grande roteiro para a volta já está sendo preparado e prevê um trajeto cruzando várias regiões. O ex-presidente já havia dito que retornaria à Bolívia “mais cedo ou mais tarde”. Na segunda-feira, a Justiça Penal boliviana de primeira instância decidiu anular a ordem de prisão e o processo contra Evo Morales nos casos de rebelião e terrorismo. A decisão abriu as portas para Morales retornar ao país sem o risco de ser preso.

Durante participação em um programa partidário na terça-feira, 27, Evo Morales revelou ainda que o presidente argentino, Alberto Fernández, propôs levá-lo de avião quando viajar para participar da cerimônia de posse de Luis Arce em La Paz. A chanceler do governo da presidente interina Jeanine Áñez, informou que Evo Morales também será convidado para a posse. Segundo Karen Longaric, “a solenidade será democrática, constitucional e sem nenhum tipo de discriminação de caráter político.”

*Com informações da repórter Letícia Santini