Um sargento do exército, um estudante, um cozinheiro e um policial militar que também é advogado e professor de direito criminalista foram presos nesta quinta-feira, 29, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, por suspeita de armazenar pornografia infantil em computadores pessoais. As prisões foram decorrentes de mandados de busca e apreensão da Operação Deep Caught 3. Segundo a Polícia Civil do MS, os suspeitos foram encontrados após busca da área de inteligência polícia na Deep Web. Ao todo, três meses de trabalho foram empenhados em encontrar os suspeitos, que faziam download de material pornográfico proibido envolvendo a exploração sexual de crianças e adolescentes.

Todos foram presos em flagrante por compartilhamento de conteúdo pornográfico infanto-juvenil e armazenamento de conteúdo ilícito. A identidade dos suspeitos não foi revelada pela polícia. Eles foram levados à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e ficarão à disposição da Justiça. Caso sejam condenados, eles podem chegar a cumprir a até quatro anos de prisão pelo armazenamento do conteúdo, seis anos pelo compartilhamento das imagens e oito anos pela produção de vídeos ou fotos.