A polícia da França prendeu um homem suspeito de ser cúmplice do autor responsável pelo ataque terrorista em Nice, no qual três pessoas foram mortas esfaqueadas dentro da na basílica de Notre-Dame de l’Assomption. No ataque, ocorrido nesta quinta-feira, 29, uma idosa de 60 anos que quase foi decapitada, o sacristão do templo, de 55 anos, foi morto, assim como a brasileira Simone Barreto Silva, de 44 anos. “Um homem de 47 anos foi preso ontem [quinta-feira] à noite. Ele é suspeito de ter entrado em contato com o autor”, disse nesta sexta-feira, 30, uma fonte judicial à Agência Efe. Enquanto isso, o terrorista responsável pelas mortes segue hospitalizado em estado grave, ele foi baleado pelos policiais quando estava prestes a atacá-los.

De nacionalidade tunisiana, o homem de 21 anos chegou à ilha de Lampedusa, na Itália, no dia 20 de setembro, seguindo a rota de migração do Mediterrâneo Central. Segundo um documento da Cruz Vermelha italiana que ele transportava, e que as autoridades francesas consideram autêntico, ele desembarcou no dia 9 de outubro no porto de Bari, no sul da Itália. Agora, a investigação agora se concentra em descobrir a “possível cumplicidade” do tunisiano com o segundo homem preso, disse o promotor nacional antiterrorista, Jean-François Ricard. Para garantir nas igrejas para comemorar Dia de Todos os Santos, a França irá utilizar forças armadas. Ao todo, sete mil militares vão fazer o patrulhamento nas ruas e também serão utilizados para proteger escolas a partir de segunda-feira (2). Além do atentado em Nice, o país registrou outros ataques nesta quinta-feira. Na cidade de Lyon, um homem com uma lâmina foi preso e outro foi morto pela polícia após ameaçar pessoas com uma arma em Avignon.

*Com agência EFE