O forte terremoto que surgiu no Mar Egeu e atingiu a Grécia e a Turquia nesta sexta-feira, 30, deixou pelo menos 22 pessoas mortas e mais de 700 feridas, segundo informações de mídias internacionais. Agências que monitoram tremores registraram números diferentes sobre a magnitude. O serviço dos Estados Unidos apontou, por exemplo, que o terremoto foi de 7.0 na escala Richter, enquanto o Instituto Geodinâmico do Observatório Nacional de Atenas relatou 6.6. Na Turquia, a magnitude foi de 6.8.

A cidade de Esmirna, na Turquia, foi uma das mais afetadas — apenas lá, cerca de 20 edifícios caíram. Além do município litorâneo, outras regiões foram fortemente destruídas. Uma das principais cidades do país, Istambul também sentiu tremores e ficou em estado de alerta. De acordo com os dados do órgão turco de monitoramento de tremores, o epicentro do terremoto aconteceu a cerca de 17 quilômetros da costa da Turquia, em uma profundidade de 16 quilômetros. Já os norte-americanos dizem que o tremor foi a 33,5 quilômetros da costa e a 10 quilômetros de profundidade.

O terremoto foi sentido em todas as ilhas gregas orientais e até mesmo na capital, Atenas. Em Samos, dois adolescentes morreram — um de 15 e uma de 17 anos — que voltavam da escola para casa assim que o terremoto aconteceu. Atingidos por um muro que desabou em uma rua estreita, eles foram localizados depois que seus pais ouviram seus telefones celulares tocarem sob os escombros. A jovem morreu no local do incidente. Já o garoto, que foi resgatado com vida e inconsciente, faleceu no hospital. Segundo o governador de Egeu do Norte, Kostas Muntzuris, vários edifícios desabaram em Samos, incluindo dois abandonados na cidade de Vathi, a maior da ilha, assim como parte de uma grande igreja em Khartovaki.

As ilhas de Lesbos e Chios também registraram alguns danos materiais em edifícios, mas até o momento não houve relatos de mortos ou feridos. O terremoto durou cerca de 30 segundos e provocou vários pequenos tsunamis que inundaram muitas lojas ao longo da orla e vias costeiras. Logo após o tremor, a Defesa Civil grega enviou um alerta de possível tsunami através do serviço de emergência 112, e o governo regional do Egeu do Norte pediu aos moradores que evitassem dirigir em ruas e estradas próximas do mar. De acordo com Akis Tselendis, diretor do Instituto Geodinâmico do Observatório Nacional de Atenas, podem ocorrer tremores secundários muito fortes, mesmo de magnitude superior a 6, nas próximas semanas, e novos pequenos tsunamis não estão descartados. Até agora já foram registradas mais de 50 réplicas, algumas de magnitude maior que 4, uma delas de 5,2 na escala Richter.

* Com informações da EFE