O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub foi reeleito diretor-executivo do conselho do Banco Mundial. Segundo o Banco Mundial, Weintraub representará na instituição o Brasil, Colômbia, República Dominicana, Equador, Haiti, Panamá, Filipinas, Suriname e Trinidad e Tobago. A sede do órgão fica em Washington, nos Estados Unidos. Weintraub deixou o MEC em junho em meio a uma série de polêmicas. Ele é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal.

Um, diz respeito à reunião ministerial de 22 de abril em que Weintraub pediu que os ministros da Corte do país fossem presos. Ele também é investigado em um inquérito que apura declarações racistas contra chineses. Em junho, quando surgiu a indicação do ex-ministro, a associação de funcionários do Banco Mundial emitiu uma carta aberta ao comitê de ética da instituição pedindo que a nomeação fosse suspensa. O mandato de Weintraub começa a partir deste domingo (1º) com duração de dois anos.

*Com informações do repórter Leonardo Martins