O americano nascido em Jerusalém Menachem Zivitofsky se tornou o primeiro cidadão a receber um passaporte com Israel como o local de nascimento. Até essa sexta-feira (30), os documentos de americanos nascidos na cidade eram emitidos sem a informação do país. Zivitofsky, de 18 anos, se disse honrado de ser o representante de diversos cidadãos americanos nascidos em Jerusalém que agora podem ter documentos oficiais que mostrem que nasceram em Israel. Jerusalém é dividida entre oriental e ocidental. A parte ocidental é onde estão localizadas as sedes do governo israelense.

A porção oriental é reivindicada pelos palestinos como capital do futuro Estado. O consenso internacional para documentos oficiais é listar como “indefinido” o país atrelado a Jerusalém. De acordo com o especialista em Oriente Médio, André Lajst, a mudança no passaporte já era esperada após a transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv para Jerusalém. Para o ele, a mudança no passaporte não deve gerar grandes tensões entre Estados Unidos e Oriente Médio. A líder palestina, Hanan Ashraw criticou a decisão dos Estados Unidos e disse que representa uma “falsificação da história e identidade da cidade” e uma tentativa de “apagar os palestinos”.

*Com informações da repórter Nanny Cox