O Ministério Público da França informou neste sábado que uma segunda pessoa foi presa acusada de envolvimento com o ataque terrorista ocorrido na basílica de Notre-Dame em Nice, em que três pessoas morreram – entre elas uma brasileira. O detido é um homem de 35 anos, que os investigadores indicam ter estado em contato com o responsável pela ação na véspera do atentado. A justificativa para o encaminhamento às autoridades é semelhante a da prisão de outro suposto envolvido, na noite da última quinta-feira, horas depois do crime ocorrido na igreja.

O apontado como autor do ataque é um homem, de origem tunisiana, que entrou na Europa de maneira ilegal, através da ilha de Lampedusa, na Itália. Baleado por policiais, o acusado está hospitalizado sob custódia. Por causa da ação, o governo da França elevou para o nível máximo o alerta terrorista, principalmente em templos religiosos. O presidente do país, Emmanuel Macron, conversou na noite desta sexta-feira com o papa Francisco e garantiu que lutará “sem descanso contra o extremismo, para que todos os franceses possam viver a fé em paz e sem medos”.

O autor do atentado terrorista entrou na Basílica de Notre-Dame, no centro de Nice, e em 30 minutos matou três pessoas a facadas: uma idosa de 60 anos que quase foi decapitada, o sacristão do templo, de 55 anos, e a brasileira Simone Barreto Silva, de 44 anos. A brasileira ainda conseguiu deixar a igreja e tentou se esconder em um restaurante próximo, mas não resistiu aos ferimentos.

*Com Agência EFE