A campanha do candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou em duas ocasiões que Donald Trump, candidato à reeleição, não terá a vitória declarada de forma antecipada, hipótese que, segundo o site jornalístico “Axios”, o republicano chegou a levantar com conselheiros próximos. “Queremos ser fundamentalmente claros: sob nenhum cenário, Donald Trump será declarado vencedor na noite da eleição”, afirmou Jen O’Malley Dillon, porta-voz da campanha democrata, em declaração feita na tarde desta segunda-feira, 2. Ainda de acordo com o “Axios”, Trump teria discutido a possibilidade de declarar vitória antecipadamente caso esteja “à frente” de Biden mesmo antes de a apuração chegar ao fim ou um dos dois ter atingido mais da metade dos votos necessários no colégio eleitoral. O site afirmou que, para aliados do presidente, isto seria possível se ele estivesse à frente ou vencesse em estados como Flórida, Texas, Carolina do Norte ou Arizona.

Neste domingo, questionado sobre a informação, Biden foi taxativo em afirmar que isso não aconteceria. “Minha resposta é de que o presidente não vai roubar esta eleição”, disse o democrata. Trump negou que poderia declarar vitória antes da proclamação dos resultados. Hoje, o Twitter divulgou um comunicado em que afirmou que posts de contas de candidatos que declarassem vitória antes das projeções oficiais ou da proclamação dos resultados serão restritos pela rede social. A maior prioridade, segundo o Twitter, será a eleição presidencial. Contas com base nos Estados Unidos e com mais de 100 mil seguidores ou forte engajamento também estão incluídas.

*Com Estadão Conteúdo