O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou no domingo, 2, os dados atualizados sobre o total de focos de fogo ativos no Brasil. O Pantanal quebrou recorde e registrou o pior outubro da história com 2856 focos de incêndios. Na Amazônia, o Inpe registrou o pior outubro em 5 anos, com 17326. O recorde no mês de outubro para o bioma é de 2007, com 28731 focos de calor, segundo o Programa Queimadas do instituto. Apesar do aumento acentuado de queimadas, 2020 não é o pior ano da série histórica na Amazônia. Em relação a 2019, no entanto, 2020 já ultrapassou o ano anterior no número total de focos de incêndio na floresta.

Em relação ao Pantanal, 2020 é o pior ano disparado em relação a quantidade de incêndios. O número de focos ativos no bioma mais do que dobrou em 2020 em relação a 2019. São 21.200 focos este ano ante 10.025 em 2019. O governo federal tem sido criticado internacionalmente pelas altas taxas de queimada na Amazônia e no Pantanal. Medidas como a moratória do fogo, que proibiu em julho queimadas na Amazônia por 120 dias, e a operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que deu origem à Operação Verde Brasil 2, não surtiram efeito nos números.