Por conta do avanço da segunda onda da Covid-19, o governo da Itália decretou lockdown em quatro regiões do país, incluindo a Lombardia, que foi duramente atingida pela primeira onda da doença em março e abril deste ano. As medidas foram anunciadas pelo Primeiro-Ministro da Itália, Giuseppe Conte, nesta quarta-feira, 4. As outras regiões que entraram em lockdown são Calabria, Piemonte, Valle d’Aosta. As medidas restritivas anunciadas valerão até o dia 3 de dezembro.

Além das regiões que foram colocadas em lockdown, o plano do governo italiano criou outras duas classificações, chamadas de “Área Amarela” e “Área Laranja”. As restrições são mais brandas na fase amarela e vão se enrijecendo conforme as regiões avançam até a “Área Vermelha”, na qual apenas atividades essenciais são permitidas.  Ao anunciar as medidas, Conte disse entender o incômodo da população, mas afirmou que o lockdown é a melhor forma de enfrentar o avanço da Covid-19. “Não há alternativas, para diminuir a curva precisamos dessas restrições … Eu entendo o incômodo e a frustração, mas temos que aguentar firme”, afirmou o primeiro-ministro.

Conte disse ainda que a ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) preocupa em 15 das 20 regiões do país. Nesta quarta-feira, a Itália registrou 30.550 novos casos e 352 novas mortes causadas pela Covid-19. No momento, 22.116 pessoas estão hospitalizadas no país, sendo 2.292 em UTIs. Duas das regiões mais afetadas na segunda onda estão na fase vermelha: Lombardia e Piemonte. Segundo dados da Johns Hopkins University, a Itália registrou 790.377 casos e 39.764 mortes desde o começo da pandemia.