A polarização política nos Estados Unidos pode permanecer mesmo após a disputa entre o atual presidente Donald Trump e Joe Biden. Para especialistas o pleito é como um referendo sobre a gestão do republicano. O recorde da ida de eleitores às urnas, apesar de um período de pandemia, mostra que os americanos estão engajados e preocupados com o futuro do país. De acordo com o pesquisador da George Washington University e fundador e presidente do Ideia Big Data, Maurício Moura os nervos estão à flor da pele e nunca se viu uma eleição com tamanha tensão nas ruas. “Se não tiver um resultado muito óbvio e muito crível teremos muita tensão para os dois lados. A gente está tendo discussões nos tribunais que acho surreais, como se pessoas podem ir armadas para votar ou não. Enfim, é um cenário muito ruim e é um efeito colateral dessa polarização que extrapolou todos os níveis históricos nos Estados Unidos.”

O cientista Político e Pesquisador da Universidade Harvard, Hussein Kalout diz que além da polarização a campanha também foi marcada por fake news. “Obviamente, em termos de de fake news, as duas campanhas primaram por propagar informações falsas ou inverídicas. A diferença é a escala, a escala do Trump é muito superior do que a escala dos democratas. Os democratas ainda têm um ponto de pudor moral, coisa que o Trump demonstrou não ter”, explica. O fato é que os holofotes de todos os continentes estão voltados para a maior democracia do mundo, porque um um simples suspiro americano pode mexer com todo o planeta.

*Com informações do repórter Daniel Lian