O jovem Kevin Rosenberg saiu de casa nesta terça-feira, 03, para escolher o próximo presidente dos Estados Unidos e resumiu bem o clima que os eleitores encontraram nas urnas: nervosismo. De máscaras, os norte-americanos correram para participar do último dia para escolher entre o democrata Joe Biden ou reeleger o republicano Donald Trump. No Texas, os eleitores respeitaram o distanciamento de um metro e meio por causa da pandemia, o que fez com que longas filas dobrassem os quarteirões.

Quem estava fora do Estado em que vota voltou correndo só para escolher o próximo presidente. O brasileiro Ronaldo contou que o clima era tranquilo em Houston, no Texas, onde mora. “Hoje eu fui na rua mais cedo está tudo em paz, tranquilo, a presença dos apoiadores do Trump no Texas é massiva, você vê um ou outro carro de apoio do Biden. No interior, aqui na região, só dá Trump”, afirma. Apesar do receio e o do aumento da segurança em áreas de comércio, como em Nova York, nenhum caso de tensão ou violência foi registrado durante a votação.

*Com informações do repórter Leonardo Martins