Nesta quarta-feira (4), o Parlamento do Reino Unido aprovou medidas de confinamento que serão impostas por todo o território da Inglaterra até pelo menos o dia 2 de dezembro. As novas regras entrarão em vigor à 0h do horário local. A decisão aconteceu no dia em que o país registrou o maior número de mortes por Covid-19 desde o dia 19 de maio, ápice da primeira onda de coronavírus na Europa. Só nas últimas 24 horas foram 492 óbitos pela doença e mais de 25 mil casos confirmados, sendo que mais de 12 mil pessoas estão hospitalizadas.

Apesarem de alguns deputados conservadores terem votado contra o lockdown, que eles veem como um risco para a economia local, a proposta foi aprovada por maioria absoluta. Dessa forma, ao longo das próximas quatro semanas deverão permanecer fechados os estabelecimentos considerados não essenciais, como lojas, bares, academias e salões de beleza. As pessoas só poderão sair de suas casas por motivos específicos, que incluem a prática de atividades ao ar livre e visitas a pessoas que vivem em outra residência. Além disso, as creches e as escolas permanecerão abertas.

O primeiro-ministro Boris Johnson espera que a partir de 2 de dezembro essas medidas comecem a ser substituídas por restrições locais, que serão mais ou menos rígidas dependendo da propagação do coronavírus. “Espero, sinceramente, que possamos fazer andar esse país outra vez, para que as empresas e lojas estejam abertas às vésperas do Natal. Mas, isso depende que todos nós façamos nossa parte”, afirmou.

*Com informações da EFE