Depois de sofrer um ataque hacker no começo da semana, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) informou que seu sistema já está sendo restabelecido e garantiu que informações e dados dos 255 mil processos que estão tramitando na Corte estão seguros. A atualização foi dada no fim da tarde desta sexta-feira, 6, através de nota. No comunicado, o presidente do STJ, Humberto Martins, também informou que a partir da próxima segunda, 9, ministros e servidores poderão acessar o sistema da Corte e que no dia seguinte, 10, as atividades judicantes que foram suspensas após o ataque poderão ser retomadas.

A nota informou ainda que, com a retomada das atividades normais, o esquema de plantão que foi adotado para analisar casos urgentes será encerrado. A Corte também disse que está acompanhando a investigação que está sendo feita pela Polícia Federal (PF) e que todos os dados sobre os ataques que foram colhidos pela equipe do STJ foram enviados ao órgão de apuração responsável pelo caso.

O ataque hacker contra o sistema do STJ aconteceu na última terça-feira, 3, e foi confirmado pelo presidente da Corte no dia seguinte. A invasão paralisou as sessões e levou o ministro Humberto Martins a suspender as atividades da Corte. Um inquérito foi instaurado pela PF para apurar as condições da invasão. Após o ataque, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que irá adotar medidas de segurança adicionais para evitar ataques durante as eleições municipais, marcadas para o dia 15 de novembro.