Nesta segunda-feira (9), o ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, voltou ao seu país de origem depois de passar cerca de um ano exilado no exterior. O retorno acontece logo após a posse do novo chefe de governo Luis Arce, também integrante do partido Movimento ao Socialismo. Na companhia de ex-ministros, Morales partiu da cidade argentina de La Quiaca e atravessou a fronteira na boliviana Villazón. O presidente da Argentina, Alberto Fernández, também acompanhou o grupo. Evo Morales renunciou à presidência em outubro do ano passado, quando foi reeleito para o quarto mandato consecutivo. Na ocasião, os grupos opositores fizeram diversas denúncias de fraude e conseguiram anular o pleito, implementando assim um governo interino. O ex-presidente se refugiou então no México e, depois, na Argentina. Dias atrás, a justiça boliviana retirou uma ordem de prisão contra ele, o que permitiu o seu retorno à Bolívia.

A posse de Luis Arce também está sendo questionada. Em seus últimos dias no comando da Bolívia, o governo interino enviou uma carta ao Supremo Tribunal Eleitoral solicitando uma auditoria das eleições, que ocorreram em 18 de outubro. As últimas semanas também foram marcadas por manifestações populares exigindo auditoria e até mesmo a anulação do processo eleitoral que deu vitória a Arce com 55,1% dos votos.

*Com informações da EFE