Vai ao plenário do Supremo Tribunal Federal o pedido do ex-presidente Lula para acessar as mensagens obtidas pela Operação Spoofing, da Polícia Federal, que investigou a invasão a aparelhos eletrônicos de autoridades como o ex-ministro Sergio Moro e o ex-procurador Deltan Dallagnol. O ministro Edson Fachin enviou o recurso ao pleno, para que seja decidido pelos 11 membros da Corte. No mesmo despacho, ele cita que o presidente do STF, Luiz Fux, deferiu uma liminar determinando que o material apreendido ficasse preservado até o Tribunal decidir sobre a legalidade dos dados.

Portanto, antes de decidir o pedido de Lula, o plenário deve deliberar sobre a questão. Sete pessoas já foram denunciadas pelo Ministério Público Federal no âmbito da Operação Spoofing, pela invasão de telefones e pela obtenção de dados e conversas privadas por aplicativo. Quatro investigados foram presos, incluindo Walter Delgatti Neto, que confessou ter hackeado as conversas e repassado ao site The Intercept, que publicou trechos dos diálogos. O então editor do site, Glenn Greenwald, também chegou a ser denunciado, mas a peça foi rejeitada pelo juiz responsável pelo caso.

*Com informações do repórter Levy Guimarães