As autoridades da Nigéria localizaram 17 dos 333 alunos que foram sequestrados pelo grupo jihadista Boko Haram no último dia 11. O ataque aconteceu na Escola Secundária de Ciências do Governo, uma instituição de ensino somente para meninos localizada no noroeste do país. Segundo o governador de Katsina, Aminu Masari, a maioria das crianças ainda está escondida na floresta de Zamfara, no estado vizinho. “Os esforços estão sendo feitos para resgatá-los”, assegurou. As que foram encontradas já se reuniram com suas famílias. Em reação ao sequestro, o Sindicato dos Professores da Nigéria ameaçaram uma greve nacional pela falta de segurança para os seus profissionais e alunos. O Boko Haram assumiu a autoria do ataque na terça-feira, 15, quando explicaram que o crime havia sido cometido para desencorajar a educação ocidental, que não é do tipo permitida “por Alá e seu Santo Profeta”.

O ataque foi considerado um dos maiores nessa região do país, onde os atos jihadistas são geralmente impedidos pelos agentes de segurança ou se limitam a sequestros pequenos em troca de resgate. O governador Aminu Masari afirmou que o Boko Haram tinha feito contato e, por isso, já estava em curso discussões sobre a segurança e o regresso dos meninos ilesos às suas casas. No entanto, fontes ligadas aos jihadistas garantiram ao portal de notícias nigeriano HumAngle que eles não fizeram exigências e tampouco estabeleceram condições para a liberação dos alunos.

*Com informações da EFE