O Instituto de Saúde Pública do Chile aprovou o uso emergencial da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer em parceria com a BioNTech. A comissão, composta por 22 especialistas, votou nesta quarta-feira, 16, a favor da aplicação do imunizante em maiores de 16 anos. A resolução ainda deve ser validade pelo presidente Sebastián Piñera, mas há boas chances de que o Chile se torne o primeiro país da América Latina a imunizar a sua população contra o novo coronavírus. O aval da entidade já permite que país comece a importar e enviar as vacinas para os diferentes postos de saúde. A expectativa é que a campanha tenha início ainda este ano, possivelmente na véspera do Natal. O Chile contratou um total de dez milhões de doses da vacina da Pfizer, sendo que o país também possui negociações com a chinesa Sinovac e com a britânica AstraZeneca.

*Com informações da EFE