O governo da Holanda decidiu neste domingo, 20, proibir o tráfego aéreo de passageiros com o Reino Unido imediatamente pelo período de pelo menos dez dias, seguindo uma recomendação das autoridades sanitárias devido a temores da nova variante do coronavírus detectada em território britânico. Em um comunicado, o Ministério da Saúde confirmou que uma pesquisa realizada no início de dezembro no país revelou que um vírus com a variante descrita pelo Reino Unido também estava circulando. Após o alerta em Londres, as autoridades sanitárias estão analisando essa cepa do SARS-CoV-2, tentando descobrir como uma pessoa que vive em território holandês foi infectada e se há algum outro caso relacionado.

O Instituto Nacional Holandês de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) pediu ao Departamento de Saúde para controlar o movimento de passageiros com o Reino Unido tanto quanto possível, a fim de limitar a entrada da variante do coronavírus em território nacional. Dessa forma, o gabinete tomou a decisão preventiva de declarar a proibição do tráfego aéreo de pessoas provenientes das Ilhas Britânicas até pelo menos 1º de janeiro. A proibição não inclui o transporte de mercadorias, nem o deslocamento de funcionários da área da saúde. Além disso, os diferentes portos, incluindo Rotterdam, serão mantidos abertos, assim como o transporte ferroviário, de modo que ainda é possível viajar de carro, trem e barco. O governo da Holanda reforçou o pedido à população para não viajar para o exterior, a menos que seja estritamente necessário, devido ao “risco substancial de propagação do vírus causador da Covid-19“. Também anunciou que, após a decisão unilateral de proibir voos, coordenará nos próximos dias com o restante dos países europeus a possibilidade de restringir ainda mais as importações do vírus do Reino Unido.

A Bélgica também vetará voos e viagens de trem do Reino Unido por pelo menos 24 horas a partir da 0h desta segunda-feira, informou o primeiro-ministro do país, Alexander De Croo, à televisão pública “VRT”. A medida será aplicada inicialmente por 24 horas porque a análise científica da nova variante do coronavírus ainda está em andamento. “Não temos uma resposta conclusiva”, esclareceu De Croo, que avisou que está em contato com a França porque Eurostar do Reino Unido também passam por esse país e os passageiros poderiam então entrar na Bélgica. “É por isso que os controles preventivos também serão realizados nas estradas”, afirmou o premiê.

Além dos dois países, a Itália também anunciou neste domingo, através do ministro das Relações Exteriores, Luigi di Maio, a suspensão dos voos do Reino Unido. “Como governo, temos o dever de proteger os italianos e por isso, depois de ter avisado o governo britânico, estamos prestes a assinar uma medida com o Ministro da Saúde para suspender os voos com a Grã-Bretanha. Nossa prioridade é proteger a Itália e nossos compatriotas”, declarou Di Maio. A Itália continua mantendo altos níveis de infecção e ontem reportou 16.308 novos casos, além de mais 553 mortes. Com isso, o número de vítimas da Covid-19 chegou a 68.447 desde fevereiro. Diante de evidências científicas indicando que a nova cepa acelera a transmissão do vírus em até 70%, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi forçado ontem a modificar os planos de movimento populacional para o Natal, com duras medidas restritivas em grande parte do Reino Unido.

* Com EFE