O diretor-executivo da farmacêutica britânica AstraZeneca, Pascal Soriot, garantiu que o laboratório descobriu a “fórmula vencedora” para fazer com que a sua vacina contra a Covid-19, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, tenha um nível de eficácia similar ao da PfizerBioNTech, que é de de 95%, e ao da Moderna, de 94%. A afirmação foi feita durante uma entrevista ao jornal Sunday Times publicada neste domingo, 27. No mês passado, os resultados preliminares dos estudos clínicos mostraram uma eficácia de 62% entre as pessoas que receberam duas doses completas da vacina da AstraZeneca e de 90% entre os que receberam meia dose e, depois de um mês, uma dose inteira. Esse imunizante se diferencia dos demais por ser mais barato e mais fácil de armazenar.

A expectativa é que a chamada “vacina de Oxford” receba a aprovação da autoridade reguladora britânica esta semana e comece a ser aplicada nos primeiros dias de janeiro. Soriot acrescenteu que acredita que sua vacina “deve ser eficaz” com as novas cepas do coronavírus detectadas no Reino Unido, mas reconhece que “não podem ter a certeza” e que, portanto, testes adicionais serão necessários. Por coincidência, a AstraZeneca e a universidade já estão trabalhando em novas versões do imunizante, caso eles sejam necessários.

*Com informações da EFE