A campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que levou os resultados eleitorais no estado do Wisconsin à Suprema Corte do país. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 29, duas semanas depois que o Colégio Eleitoral reconheceu a derrota de Trump e a vitória do democrata Joe Biden no pleito realizado no dia 3 de novembro deste ano. A decisão foi tomada depois que as acusações de fraude sobre os resultados no Estado foram recusadas pela última instância do Judiciário local. Ao entrar com o processo, Trump quer invalidar mais de 50 mil votos que foram enviados pelo correio, alegando que eles são ilegais por diversos motivos. Essa é a segunda ação levada à Suprema Corte, que já analisou um processo que tenta invalidar votos na Pensilvânia. Em ambos os estados, Trump foi derrotado por Biden.

Os processos fazem parte da estratégia adotada pela campanha de Trump para reverter o revés das urnas nos tribunais. No entanto, até o momento, as tentativas não tiveram sucesso e o republicano tem poucas chances de virar o jogo desde que a vitória de Biden foi confirmada. No Wisconsin, o democrata venceu por uma pequena diferença. No nível estadual, todas as instâncias recusaram o processo de Trump. A campanha do atual presidente está se concentrando nos resultados obtidos nos condados de Dane e Milwaukee, que são regiões de maioria democrata e que foram decisivas na apuração. Após o fim da apuração dos votos, Biden obteve 306 votos do colégio eleitoral, 36 a mais do que os 270 necessários para se eleger, contra 232 garantidos por Trump.

*Com informações da EFE