Um terremoto de magnitude 6.4 na Escala Richter deixou pelo menos seis mortos e dezenas de feridos na Croácia nesta terça-feira, 29. O epicentro do tremor, o maior registrado em mais de 100 anos, ocorreu a quase 50 quilômetros de Zagrebe, capital do país. A cidade mais atingida foi Petrinja, município com pouco mais de 24 mil habitantes que registrou queda de prédios e soterramento de carros sob detritos. O hospital da região sofreu danos estruturais e foi evacuado. Entre os internados no local, há pelo menos 40 pessoas com o novo coronavírus. Soldados do exército e outras equipes de socorro foram enviadas para a região para ajudar no socorro das vítimas.

Os danos também foram sentidos em Sisak, cidade com mais de 47 mil habitantes. “Metade do prédio do Capitólio caiu. A cidade está em um péssimo estado”, afirmou à TV estatal a prefeita Kristina Ikic Bnicek. O cenário de caos é narrado por moradores e divulgado nas redes sociais. A projeção é de que mais mortes sejam confirmadas, já que ainda há pessoas sob os escombros dos prédios. Como forma de precaução, a usina nuclear de Krsko, na Eslovênia, país vizinho à Croácia, foi fechada. O terremoto também foi sentido na Hungria, mas as plantas nucleares do país não sofreram alteração no seu funcionamento. O terremoto desta terça foi ainda maior do que o sentido na segunda-feira, de 5.2 graus na escala Richter, que causou danos estruturais para construções sem deixar feridos.