A Anmat, agência reguladora da Argentina, anunciou nesta quarta-feira, 30, a aprovação para uso emergencial da vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford contra a Covid-19. “O produto apresenta um balanço aceitável entre benefício e risco, permitindo a concessão e autorização condicional do produto para a indicação solicitada”, afirma trecho da nota da agência. Com o documento, a vacina poderá ser administrada de forma emergencial durante um ano no país. Essa é a terceira vacina a ser aprovada pelo órgão regulador da Argentina. A primeira foi a Sputnik V, desenvolvida pela Rússia, que passou a ser aplicada no país nesta terça-feira; a segunda foi a da Pfizer.

A permissão para uso emergencial da vacina na Argentina ocorre poucas horas após a aprovação do pedido para utilização das doses desenvolvidas pela Universidade de Oxford no Reino Unido. No país europeu, que já vacina grupos prioritários com doses da Pfizer, a imunização com o material desenvolvido pela AstraZeneca deverá ser iniciada no dia 4 de janeiro. No Brasil, a vacina deverá ser fabricada pela Fundação Oswaldo Cruz, que se comprometeu nesta quarta a formalizar o pedido de uso emergencial do imunizante no país à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) até o dia 15 de janeiro.