A Organização Mundial da Saúde (OMS) validou nesta quinta-feira, 31, o uso emergencial da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Pfizer em parceria com a BioNTech. O imunizante é o primeiro a receber uma validação na pandemia, e, em comunicado, a OMS enfatizou a necessidade por acesso igualitário à vacina globalmente. A medida abre espaço para países expedirem suas próprias aprovações regulatórias, e para que organizações ligadas à OMS, como a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), busquem a vacina para a distribuição local.

“A OMS e nossos parceiros estão trabalhando noite e dia para avaliar outras vacinas que alcançaram os padrões de segurança e eficácia. Nós encorajamos ainda mais desenvolvedores a virem para revisão e avaliação. É de vital importância garantir o suprimento crítico necessário para servir todos os países ao redor do mundo e conter a pandemia”, afirmou Mariangela Simão, diretora assistente da OMS para Acesso a Medicamentos e Produtos Médicos.

A revisão concluiu que a vacina atendeu aos critérios obrigatórios de segurança e eficácia estabelecidos pela OMS, e que os benefícios do uso do imunizante compensam os riscos potenciais. Uma reunião ocorrerá em 5 de janeiro de 2021 para formular políticas e recomendações específicas para o uso do produto em populações, com base nas recomendações de priorização. O imunizante da Pfizer já recebeu autorização para uso emergencial em países como o Reino Unido e os Estados Unidos, além da União Europeia.

*Com Estadão Conteúdo