A democrata Nancy Pelosi deve ser reeleita para o quarto mandato como presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos neste domingo, 3, mas uma maioria menor do Partido Democrata e a pandemia do novo coronavírus podem tornar o processo, que normalmente é rotineiro, mais acirrado. Há a possibilidade que o pleito possa ir a segundo turno pela primeira vez desde 1923. Pelosi passou as últimas semanas garantindo o apoio dos democratas e que a maioria deles esteja presente na sessão inaugural que será realizada ainda hoje. Os democratas devem ter 222 cadeiras na Câmara dos Representantes contra 211 do Partido Republicano. Uma cadeira em Nova York ainda está em aberto e uma na Louisiana ficou vaga após a morte do deputado Luke Letlow, infectado pela Covid-19. Outros dois republicanos não devem participar da sessão por causa da pandemia que já matou mais de 300 mil pessoas no país. Não se sabe se os democratas vão ao pleito ou quantos deles devem participar.

“Meu oponente é a Covid-19”, disse Pelosi em teleconferência com democratas na última semana, de acordo com agências de notícias locais. Ela demonstrou confiança que será reeleita e não está preocupada se terá ou não maioria dos democratas na casa. O republicano Kevin McCarthy, líder da minoria que é da Califórnia, mesmo Estado de Pelosi, foi o escolhido do partido para concorrer ao cargo. Em vez de se reunirem todos no plenário da Câmara dos Representantes, os deputados vão entrar em grupos respeitando as medidas de isolamento social, medida que deve alongar a eleição, que normalmente é um processo rápido. Primeiro será feita uma chamada com os presentes e em seguida os deputados vão dar seus votos. Após isso, cada deputado fará seu juramento para assumir a cadeira na Câmara.

*Com informações do Estadão Conteúdo