O Irã concluiu nesta terça-feira, 5, a operação para enriquecer urânio a uma pureza de 20% na usina subterrânea de Fordo, o que representa uma nova violação no acordo nuclear firmado em 2015. A informação foi confirmada pelo negociador nuclear Abbas Araghchi, que ressaltou que esse passo não representa “morte do acordo, mas uma reação à falta de empenho da outra parte”. O representante se refere aos Estados Unidos, que em 2018, sob o governo de Donald Trump, romperam com o pacto ao reimpor sanções contra o país do Oriente Médio. “A forma de manter o acordo não é exercer pressão sobre o Irã. Se a outra parte voltar às suas obrigações, temos também a capacidade de voltar aos nossos compromissos”, disse Aragchi.

Respondendo à preocupação da comunidade internacional, o porta-voz declarou em uma entrevista à televisão estatal que o governo iraniano não acredita em armas nucleares. “Elas não têm lugar nas nossas relações defensivas”, declarou Aragchi. No entanto, ele afirmou que o país está estudando enriquecer urânio a uma pureza ainda superior a 20%. Segundo ele, o Irã também pretende destinar um reator de pesquisa à produção de radiofármacos.

*Com informações da EFE