Os olhos da população norte-americana estão focados no Congresso nesta quarta-feira, 6. Isso porque é o dia seguinte da eleição do segundo turno ao Senado, realizada na Geórgia, considerado estado-chave para a eleição de Joe Biden, em novembro. A sessão desta quarta-feira será conjunta entre a Câmara dos Representantes, o Senado e presidida pelo vice-presidente Mike Pence. Biden tem maioria na Câmara e a presidente reeleita é a democrata Nancy Pelosi.

No entanto, a questão do Senado traz incertezas sobre como Biden irá lidar com suas pautas. Afinal, esta casa tem maioria republicana. Caso os democratas vençam, a divisão será exatamente de 50% e 50%. Isso significa que metade está alinhado ao partido do presidente eleito e, a outra metade, aos republicanos. Só que Biden se sai bem com esse resultado: uma vez que em caso de empates na casa, o voto de minerva é feito pela vice-presidente. No caso, sua parceira Kamala Harris.

Até às 4h55 desta quarta, de acordo com a Associated Press, 98% das urnas já tinham sido apuradas. Na primeira disputa, entre o democrata Raphael Warnock e a republicana Kelly Loeffler, o parceiro de Biden levou a melhor com 50,6% dos votos. A segunda disputa, entre o democrata Jon Ossoff e o republicano David Perdue, é que vai decidir a maioria. Mas até a posse marcada para o dia 20, o presidente eleito não terá sossego. Isso porque o atual mandatário, Donald Trump, promete ir até o fim para invalidar o pleito do ano passado.

Mike Pence foi pressionado por Trump para não proclamar a vitória de Biden nesta quarta, mas o vice respondeu que não tinha poder para bloquear a certificação — mesmo com a insistência do presidente. Nos últimos dias de seu mandato, Trump segue despachando. Na terça-feira, 5, assinou uma ordem executiva proibindo transações com oito aplicativos de software chineses — como o Alipay, Qq Wallet, CamScanner, Shareit, VMate e Wps Office. A medida passa a vigorar em 45 dias, quando não estará mais no cargo Portanto, caberá a Biden decidir se cumpre ou não a medida.

*Com informações do repórter Fernando Martins