O presidente da ArgentinaAlberto Fernández, anunciou que haverá toque de recolher em todo o território nacional para conter a propagação do novo coronavírus. Dessa forma, as pessoas não poderão circular das 23h às 6h, as reuniões serão restritas a um máximo de dez participantes e os transportes públicos serão restritos aos trabalhadores essenciais. Além disso, o país deve restringir a quantidade de voos internacionais e exigir testes PCR para detectar a Covid-19 em passageiros que viajarem de uma província para outra. As informações são do jornal local “La Nación”, que afirma ainda que o governo argentino vai tentar avançar com outras restrições de uma forma que não limite a atividade econômica ou o turismo durante a temporada de verão.

A Argentina iniciou a sua campanha de vacinação contra a Covid-19 em 29 de dezembro, aplicando as primeiras doses do imunizante russo Sputnik V em profissionais da saúde. Enquanto isso, o país continua registrando uma alta no número de infecções pelo novo coronavírus. Só nas últimas 24 horas, foram 13,4 mil casos e 191 óbitos, de acordo com levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins. Somando os dados desde o início da pandemia, a Argentina é o 12º com maior número de infecções e mortes pela Covid-19 no mundo.