Após a invasão ao Capitólio, sede do Congresso nos Estados Unidos, a imagem de Donald Trump deve sofrer drásticas mudanças, avalia o professore visitante da Unidade de Relaçoes Exteriores da China, Marcus Vinicius de Freitas. O episódio, ocorrido nesta quarta-feira, 06, enquanto acontecia a sessão do Congresso para confirmar a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais, resultou na morte de quatro pessoas, o que pode significar a condenação política do atual presidente. “Do ponto de vista político, [Trump] já foi condenado em razão da linguagem incendiária que ele utilizou durante o discurso para aquela enorme quantidade de pessoas. Politicamente, o presidente Trump não tem como se livrar desse peso que vai carregar justamente do número de mortos que houve. Ele não será culpado do ponto de vista legal, mas já está condenado na opinião pública em razão das manifestações que ocorreram no Senado”, avalia em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

Para Marcus Vinicius, além de representar um peso político para Donald Trump, a invasão ao Capitólio também demonstrou como a polarização social é prejudicial para os Estados Unidos. Por isso, o professor analisa que o presidente eleito, Joe Biden, precisará dobrar esforços para aproximar e diluir as animosidades na esfera doméstica, assim como a nível internacional. Em relação ao Brasil, o professor lembra que a relação deve ser entre Estados. “Biden tem uma postura mais multilateralista e nesse sentido, se ele quer de fato conseguir com que os EUA recupere a liderança que perderam a nível global, com certeza um trabalho mais aproximado com o Brasil será necessário. Por isso, a liguagem do governo brasileiro deverá ser, de alguma forma, diluída, porque a gente sabe que o relação não é entre governos, é entre estados. E a relação com os Estados Unidos é importante para o Brasil pelo nível de investimento.”

A respeito das possibilidades de fraude eleitoral, o especialista cita que o próprio líder republicano no Senado disse que casos de fraudes são “ocorrências normais nas eleições americanas”, mas não em um nível que poderia alterar o resultado do pleito. “O problema é que a margem que estaríamos falando. Se olharmos, foram sete milhões de votos a mais, então teríamos que estar falando de um nível de fraude que não se conseguiu comprovar. Os 60 casos que Trump levou para Cortes e tribunais não prosperaram porque nenhum juiz pretende assumir uma decisão que é do eleitor.”, finaliza. A vitória de Joe Biden foi ratificada no Congresso americano nesta quinta-feira, 07, em sessão retomada após a invasão do Capitólio, que gerou repercussão entre republicanos e democratas, que pedem, inclusive, o impeachment do atual presidente. Ao mesmo tempo, lideranças mundiais também repudiam o ataque.