Diante da crise causada pela invasão do Capitólio por parte dos seus apoiadores na última quarta-feira, 6, Donald Trump, teve a conta suspensa do Twitter na noite desta sexta-feira, 8. O link que direcionava para a página oficial do presidente dos Estados Unidos na rede social agora tem uma mensagem com o aviso de que aquela conta violava as regras e termos de uso. Em uma publicação feita pelo próprio Twitter, a marca explica que a decisão de suspender permanentemente a conta do presidente é uma forma de evitar o “risco de mais incitação à violência”. A empresa disse, ainda, que analisou minuciosamente todas as mensagens publicadas por ele.

Antes de ser suspenso da rede social, Trump teve uma série de mensagens marcadas como suspeitas. Nelas, ele afirmava constantemente e sem provas que as eleições perdidas por ele eram fraudulentas. Em algumas das mensagens, ele afirmava que o vice-presidente Mike Pence, que presidiu a sessão invadida no Capitólio, tinha a chance de não reconhecer a vitória de Joe Biden. Em diversos momentos, ele também falou que os norte-americanos não acreditavam no resultado das eleições. A suspensão de Trump no Twitter ocorre pouco após o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciar a suspensão do republicano suspenso na rede social criada por ele e também no Instagram pelo menos até o fim do mandato.

A invasão ao Capitólio dos Estados Unidos deixou pelo menos cinco pessoas mortas, uma delas era apoiadora de Trump e outra era um policial que tentou conter o público no local. Até o momento, mais de 60 suspeitos foram presos por invasão e depredação de patrimônio. A polícia de Washington D.C. ainda busca em parceria com o FBI outros invasores. O presidente eleito Joe Biden deve tomar posse no dia 20 de janeiro e Donald Trump afirmou que não vai participar da cerimônia.