O Reino Unido aprovou nesta sexta-feira, 8, o uso emergencial da vacina desenvolvida pela empresa norte-americana Moderna. No início de dezembro, o Reino Unido iniciou seu plano de vacinação com o imunizante desenvolvido pela Pfizer/BioNTech. Na última segunda-feira, 4, a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca também começou a ser aplicada na população britânica. Com isso, a vacina da Moderna se torna o terceiro imunizante a ter o uso emergencial aprovado na nação. Cerca de 1,5 milhão de pessoas já foram vacinadas em todo o Reino Unido.

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, comemorou a aprovação de mais uma vacina. “Esta é uma ótima notícia e outra arma em nosso arsenal para domar esta doença terrível”, escreveu em suas redes sociais. Segundo a BBC britânica, o Reino Unido havia pedido originalmente 7 milhões de doses, mas aumentou em 10 milhões. Sendo assim, o pedido total foi de 17 milhões de doses da Moderna. A vacina contra Covid-19 da farmacêutica norte-americana já recebeu autorização para uso emergencial nos Estados Unidos, no Canadá e em Israel. Parecido com o da Pfizer-BioNTech, o imunizante utiliza pedaços de material genético e precisa de duas aplicações para garantir sua eficácia de 95%, sendo que não houve efeitos colaterais graves durante os ensaios clínicos. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou, na última segunda-feira, um novo confinamento nacional, incluindo o fechamento de escolas. O Reino Unido registra 2.898.057 casos e 78.633 óbitos pela Covid-19.