Devido a uma nevasca histórica, a mais forte desde 1971, a Espanha colocou em alerta vermelho cinco regiões do centro do país neste sábado, 9. A gravidade da tempestade Filomena fez com que o primeiro-ministro Pedro Sanchez utilizasse o seu perfil oficial no Twitter para orientar a população a “evitar deslocamentos”, ao mesmo tempo em que elogiou o trabalho dos profissionais “que procuram ajudar as pessoas presas na neve”. Segundo as autoridades locais, pelo menos quatro pessoas já foram vítimas das condições meteorológicas: um sem-teto morreu congelado na cidade de Calatayud, um homem foi soterrado na neve em Zarzalejo e um casal morreu afogado depois que um rio rompeu suas margens nos arredores de Málaga.

Em Madri, a queda de neve deixou 33 litros por metro quadrado em 24 horas, a maior da cidade desde 1971, segundo fontes da Agência Estatal de Meteorologia (Aemet). O fenômeno, que é incomum na capital espanhola, deixou uma mancha branca em estradas, rodovias e ruas, que ficaram intransitáveis para os carros, mas tomadas por centenas de curiosos, ansiosos para brincar na neve, apesar dos riscos. A capital está bloqueada por pelo menos 50 centímetros de neve, segundo o prefeito, José Luis Martínez Almeida, que hoje pediu aos governos regional e nacional recursos humanos e materiais suficientes para enfrentar a tempestade.

Por enquanto, só é possível circular na capital a pé, algo muito difícil e perigoso devido ao risco de deslizamentos de terra, ou no metrô, que sofre cortes ocasionais. O transporte urbano e interurbano de passageiros não está em operação, os caminhões são proibidos de circular, e os carros particulares só podem circular com correntes em seus pneus, embora as autoridades venham pedindo para evitar qualquer deslocamento desnecessário. Na cidade, túneis urbanos, parques, instalações esportivas e culturais permanecerão fechados hoje e não haverá coleta de lixo. Muitas casas ficaram sem água, devido a canos congelados, sem eletricidade e sem aquecimento, com temperaturas externas abaixo de 0 graus. Todas as escolas permanecerão fechadas pelo menos na segunda e na terça-feira.

No entanto, a tempestade Filomena deixou o país inteiro em alerta por causa da onda de frio, que também deixa chuva forte, vento e mar agitado em regiões além do centro. As companhias de navegação Balearia e FRS suspenderam pelo terceiro dia consecutivo as partidas programadas entre os portos de Ceuta e Algeciras, no Estreito de Gibraltar, devido a rajadas de vento muito intensas. Além disso, milhares de caminhões permanecem em estacionamentos de emergência em outras regiões esperando que as condições meteorológicas melhorem antes de poderem dirigir pelo centro da Espanha.

*Com informações da EFE