O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19 nesta segunda-feira, 11. A ação foi transmitida ao vivo de Newark, no estado de Delaware, como uma forma de reassegurar a segurança do imunizante desenvolvido pela Pfizer em parceria com a BioNTech. O democrata de 78 anos de idade já havia recebido sua primeira vacinação no dia 21 de dezembro, ocasião que também foi televisionada. Na semana seguinte, a vice-presidente eleita Kamala Harris recebeu sua primeira dose da vacina da Moderna, que também recebeu a aprovação da FDA para ser utilizada emergencialmente no combate ao novo coronavírus no país.

Após receber a vacina, Biden repetiu a sua promessa de vacinar milhões de pessoas em 100 dias a partir da sua posse. No sábado, 9, o presidente eleito anunciou sua intenção de liberar rapidamente a maioria das doses disponíveis para que os norte-americanos comecem a receber suas primeiras doses mais rapidamente. Sua ideia é cumprir essa etapa o mais rápido possível para, depois, aplicar a segunda dose de forma gradual. A administração do presidente Donald Trump tem tido uma abordagem diferente, retendo milhões de doses da vacina para garantir que as pessoas possam receber uma segunda injeção depois de três semanas. Os cientistas ainda estão discutido se um intervalo maior entre uma dose e outra, de 12 semanas, por exemplo, não comprometeria a eficácia da vacina.