A Comissão Nacional de Saúde da China (NHC, na sigla em inglês) notificou nesta segunda-feira, 11, 103 novos casos diários de coronavírus, o maior número registrado desde julho. De acordo com a nota publicada no site oficial da entidade, 82 dessas infecções aconteceram na província de Hebei, duas em Liaoning e uma em Pequim. As outras 18 teriam sido importadas do exterior. No entanto, é importante ressaltar que, diferente de outros países, a China só contabiliza os resultados positivos para Covid-19 de pessoas que apresentam os sintomas da doença, além de existirem denúncias de subnotificação.

Apesar da gravidade do surto ser inferior à do início da pandemia, o governo cancelou as celebrações do “ano novo chinês”, como é conhecido no ocidente, em várias províncias. As tradicionais feiras e exibições que aconteceriam no dia 12 de fevereiro foram proibidas inclusive na capital Pequim. De acordo com uma matéria publicada neste domingo, 10, pelo jornal estatal chinês Global Times, as autoridades estão aconselhando a população a não viajar durante as festas para minimizar os riscos de contágio. O texto também afirma que, por esse mesmo motivo, companhias aéreas cancelaram voos de entrada e saída em algumas regiões do país.