A primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, condenou a invasão ao Capitólio nesta segunda-feira, 11, após ficar vários dias longe dos holofotes. Através de uma publicação no site oficial da Casa Branca, a esposa de Donald Trump lamentou as mortes causadas pelos eventos caóticos do dia 6. “Meu coração está com a veterana da Força Aérea Ashli Babbitt, Benjamin Philips, Kevin Greeson, Rosanne Boyland e os policiais do Capitólio Brian Sicknick e Howard Liebengood. Rezo para que suas famílias sejam confortadas e tenham força neste momento difícil”, afirmou. Dessa forma, Melania incluiu na lista de vítimas Howard Liebengood, que faleceu no último sábado em um aparente suicídio, sem ter ficado claro se a sua decisão estava relacionada com o que aconteceu em Washington D.C. Na sequência, a primeira-dama considerou “vergonhoso” que em torno dos eventos trágicos “tenha havido fofocas obscenas, ataques pessoas injustificados e falsas acusações enganosas” sobre a sua pessoa. Nos últimos dias, a imprensa norte-americana afirmou que Melania Trump estava coordenando uma sessão de fotos durante a invasão ao edifício, trabalho esse que ela não quis interromper mesmo ciente do que estava acontecendo. Em seu texto, a primeira-dama fez uma ressalva: “Não se engane, condeno absolutamente a violência que ocorreu no Capitólio da nossa nação. A violência nunca é aceitável”.

A invasão ao Capitólio foi feita por apoiadores do presidente Donald Trump e aconteceu durante a reunião do Congresso Nacional que oficializaria a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais. “É inspirador ver que tantos encontraram paixão e entusiasmo ao participar da eleição, mas não devemos permitir que essa paixão se transforme em violência”, defendeu Melania, sem mencionar as acusações de que o seu marido teria incitado as ações dos manifestantes. Ao final da publicação, ela sinalizou que os seus dias na função estão chegando ao fim, já que Biden assumirá a presidência no próximo dia 2o. “Tem sido uma honra da minha vida servir como a sua primeira-dama. Eu quero agradecer os milhões de americanos que apoiaram meu marido e a mim nos últimos quatro anos e mostraram o incrível impacto do espírito americano”, concluiu.