A Rússia iniciou nesta segunda-feira, 11, os testes clínicos da vacina Sputnik Light, que se diferenciaria da Sputnik V por garantir proteção contra a Covid-19 após uma única dose. O objetivo é frear mais rapidamente as novas ondas de infecções pelo coronavírus e evitar os altos índices de mortalidade vistos ao longo da pandemia. De acordo com o Instituto Gamaleya, 150 voluntários participarão dessa primeira etapa de estudos clínicos em três laboratórios de Moscou e São Petersburgo. O diretor da entidade, Alexandr Gintsburg, explicou que a segurança da vacina de dose única está “provada”, mas que a eficácia para o uso entre os idosos ainda precisa ser estudada.

O presidente russo, Vladimir Putin, apresentou a Sputnik Light em meados de dezembro, durante a sua entrevista coletiva anual, e estimou a eficácia da vacina em 85%. “Contudo, é possível vacinar dezenas de milhões de pessoas de uma só vez. É também uma opção”, disse ele na ocasião. O presidente do Fundo Russo de Investimentos Diretos, Kirill Dmitriev, acrescentou nesta segunda-feira, 11, que a Sputnik Light também é destinada ao mercado estrangeiro. “A Sputnik Light pode se tornar uma solução provisória eficaz para muitos países que estão no auge da doença e querem salvar o maior número de vidas possível”, comentou.

*Com informações da EFE