Em decisão inédita, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta quinta-feira, 1º, a perda de mandato temporária do deputado Fernando Cury (Cidadania) no processo em que a deputada Isa Penna (PSOL) o acusa de importunação sexual. A resolução ampliou o afastamento do deputado por seis meses e foi aprovada com 86 votos favoráveis e nenhum contrário. Não houve abstenções ou votos em branco. Com a decisão, o ex-deputado Padre Afonso (PV), suplente de Cury, deverá assumir o posto na Alesp, tendo poder para montar a própria equipe e exonerar os funcionários do gabinete de Cury. Originalmente, o Conselho de Ética da Casa havia decidido a pena de 119 dias de afastamento para Cury, Entretanto, após uma reunião realizada nesta manhã entre o  Colégio de Líderes, Conselho de Ética e Procuradoria da Alesp, foi acordada a suspensão de seis meses.A primeira sessão sobre o caso aconteceu na quarta-feira, 31, quando deputados que se manifestaram criticaram o parecer do Conselho de Ética, sugerindo emendas ao parecer.

Em suas redes sociais, Isa Penna comemorou a decisão da Alesp, dizendo que o dia de hoje ficará “registrado na  história da luta feminista” e afirmou que seguirá lutando contra “o corporativismo machista”. Eleita com quase 54 mil votos, a deputada se filiou ao PSOL em 2010 e tem atuação na área de defesa das mulheres, direitos das mulheres, cultura, educação, saúde, meio ambiente, direitos humanos, LGBTIQA+. Já Fernando Cury foi eleito para seu primeiro mandato em 2014 com 85.925 votos e tem atuação voltada para as áreas da agricultura e pecuária, desenvolvimento do interior e geração de empregos e renda. Outras parlamentares e figuras públicas também foram às redes para comemorar a decisão. Confira algumas manifestações: