O desenvolvimento do setor de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) é fundamental para a construção de um cenário de modelos de negócios digitais viáveis. Investimentos para a expansão desse segmento impulsionam a competividade e a inovação, no intuito de melhorar a economia e o bem-estar social. O Brasil tem buscado se adaptar a essa nova realidade, mas ainda enfrenta barreiras na implementação de ferramentas de telecomunicação. Os principais entraves são infraestrutura insuficiente, altas alíquotas de impostos, regulamentações não adaptadas à realidade digital e processos burocráticos longos.

O estudo “Insights sobre Transformação Digital e Oportunidades para TICs no Brasil” aponta iniciativas concretas e perspectivas de desenvolvimento inclusivo para que o Brasil se integre, de fato, à era digital. O relatório foi realizado pela Deloitte, com o apoio da Huawei, e tem como foco cinco pilares do ecossistema digital: 5G, fibra óptica, cloud computing, safe cities e capacitação de talentos.

Um dos campos identificados pelo estudo com potencial de ampliação de mercado é o setor doméstico de TICs. O levantamento indica que o País ainda possui um baixo percentual de domicílios e indivíduos com acesso à internet, com uma média inferior à do continente sul-americano. A mesma constatação ocorre em relação à utilização da telefonia celular. Apesar de uma cartela de serviços ampla, o índice de acessibilidade é pequeno, se comparado aos níveis mundiais.

Ainda de acordo com o estudo, a infraestrutura deve estar no centro de todas as reflexões sobre esse tema, por ser a base para a expansão e consolidação do setor de TICs no País.

Confira os principais destaques do relatório:

5G ready, tudo conectado
O 5G apenas se tornará realidade se o Brasil superar os desafios atuais no processo de instalação de novas antenas e passagem de fibra óptica, viabilizando o licenciamento governamental, o direito de passagem e a aquisição de sites.

Fibra Óptica: ponte para o futuro
Como a água, o gás e a energia, a internet de banda larga tem se tornado uma necessidade fundamental. É preciso desenvolver a infraestrutura adequada para transformar o País em uma sociedade digital.

Cloud: o céu não é o limite
Segurança nacional, regulação, custos e oferta de mão de obra local são os principais fatores para atrair investimentos de cloud e datacenters ao Brasil. O estímulo governamental definirá o futuro do cloud no Brasil.

Cidades seguras: segurança e inteligência
O investimento mais relevante na tecnologia de segurança pública é também o menos custoso: a definição de padrões abertos. A inteligência artificial e o reconhecimento facial também desempenham um papel importante.

Brasil, o hub de talentos para a América Latina
Nenhuma revolução digital é habilitada apenas com tecnologia. A construção de talentos digitais qualificados é essencial. O Brasil deve adotar mecanismos para estimular e proteger a agilidade intelectual, ampliando os limites da competitividade do setor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui