O governo de São Paulo e o Instituto Butantan vão antecipar a entrega de 54 milhões de doses da CoronaVac que estava prevista para setembro. Agora, a entrega deve acontecer até o fim de agosto. O governador do Estado, João Doria, lembrou que 9 a cada 10 brasileiros vacinados foram imunizados com a vacina do Butantan com o laboratório chinês Sinovac. Porém, ele alertou a importância e fez um apelo para o Ministério da Saúde viabilizar mais vacinas além desta. Até agosto, 100 milhões de doses da CoronaVac estarão à disposição do Brasil. Na tarde desta quarta-feira, 17, os 26 estados e o Distrito Federal farão uma reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello para tratar esse e outros assuntos.

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, reforçou que a CoronaVac é a única vacina usada em grande volume no Brasil. Com isso, o local também criou uma força-tarefa para agilizar a entrega das doses ao duplicar o número de profissionais que cuidam do programa de envase de 150 para 300. De acordo com Covas, o departamento de qualidade trabalha quase 24 horas por dia, sete dias por semana para aumentar a produção e entrega das doses. A partir do próximo dia 23 de fevereiro, o Instituto vai entregar 3,4 milhões de doses para o Ministério da Saúde distribuir “o mais rápido possível” pelos estados. Previsão é de que 426 mil doses sejam liberadas por dia, por oito dias. Segundo Dimas, não existem mais problemas com a logística da matéria prima que vem da China.

*Mais informações em instantes